Oxford City, Lusitanos Oxford

Inglaterra e Portugal: A Mais Velha Aliança do Mundo

A aliança luso-britânica foi estabelecida pela primeira vez em 1373 assinado entre Eduardo III da Inglaterra e Fernando I e Leonor de Portugal. e representava uma aproximação natural entre duas potências marítimas e comerciais, face à ameaça que poderiam receber de potências continentais. Foi neste contexto (e tendo em conta a Guerra dos 100 Anos, que decorria entre a Inglaterra e a França) que arqueiros ingleses participaram ao lado de D. João I na Batalha de Aljubarrota.
A aliança durante o período filipino
A “absorção” do governo de Portugal pelo rei de Espanha Filipe II (I de Portugal) alinhou automaticamente a política externa portuguesa com a espanhola, num tempo em que Espanha e Inglaterra eram ferozes adversários. Por esse motivo, o significado da aliança ficou completamente suspenso; durante várias décadas, Portugal e Inglaterra estiveram em estado de guerra. Navios portugueses participaram na derrota espanhola da “Invencível Armada” às mãos dos ingleses, cujos corsários atacavam navios e cidades portuguesas.

A Restauração e a nova situação de Portugal
Desde 1640 e até ao século XIX, Portugal tornou a buscar auxílio na Inglaterra face às ameaças de Espanha, e depois da França, à sua independência. Para a Inglaterra, Portugal era um adversário útil para limitar o poder espanhol, bem como um interessante parceiro comercial. É deste tempo o tratado de Methuen, a “invenção” do vinho do Porto pelos ingleses e, mais tarde, a opção de D. João VI pela aliança inglesa face às ameaças de Napoleão.

A aliança no século XX
No século XIX, Espanha tornou-se irrelevante e a importância da aliança diminuiu para os ingleses; daí encararem o império colonial português como concorrente, e daí também o Ultimato de 1890. Porém, as diferenças vieram a ser sanadas com a participação de Portugal na I Guerra Mundial ao lado de Inglaterra.

PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL:

Em março de 1916, apesar das tentativas da Inglaterra para que Portugal não se envolvesse no conflito, o antigo aliado decidiu pedir ao estado português o apresamento de todos os navios germânicos na costa lusitana. Esta atitude justificou a declaração oficial de guerra a Portugal pela Alemanha, a 9 de março de 1916 (apesar dos combates em África desde 1914).

Em 1917, as primeiras tropas portuguesas, do Corpo Expedicionário Português, seguiam para a guerra na Europa, em direcção a Flandres. Portugal envolveu-se, depois, em combates em França.

Neste esforço de guerra, chegaram a estar mobilizados quase 200 mil homens. As perdas atingiram quase 10 mil mortos e milhares de feridos, além de custos económicos e sociais gravemente superiores à capacidade nacional. Os objectivos que levaram os responsáveis políticos portugueses a entrar na guerra saíram gorados na sua totalidade. A unidade nacional não seria conseguida por este meio e a instabilidade política acentuar-se-ia até à queda do regime democrático em 1926.

Segunda Guerra Mundial Durante a Segunda Guerra Mundial, apesar da neutralidade portuguesa, a aliança foi invocada para o estabelecimento de bases militares nos Açores.

A aliança na atualidade
Portugal e o Reino Unido fazem parte da União Europeia e da NATO, o que significa que, ao longo das últimas décadas, o significado da antiga aliança acabou por ser transposto para estas organizações internacionais. Portugal e o Reino Unido mantêm uma relação cultural, a destacar as áreas da pintura, música e a literatura. No Reino Unido, a língua de Camões é ensinada em treze universidades, com cátedras em quatro delas. O Instituto Camões oferece bolsas a estudantes britânicos nas áreas de língua e cultura portuguesas.O número de residentes de cada um dos países no outro é significativo. O fluxo de emigração portuguesa para o Reino Unido começou no início dos anos 70 e, desde meados dos anos 1990, um número crescente de pessoas optaram por viver neste país.Porém, o “Brexit” poderá introduzir alterações neste paradigma.

 

About author

Related Articles